Buscar
  • Bruno Figueiredo

Fitoki | O Potencial Anti-idade da Fitoterapia


Desde sempre que existe o interesse e a procura por uma forma de manter a juventude. Sendo este um processo natural e ainda que não o possamos evitar, podemos atenuar, fazendo uma melhor gestão e economia da nossa energia vital, permitindo-nos viver mais e melhor.


Hoje em dia, o significado de anti-envelhecimento mudou de um mero prolongamento da vida para a melhoria da qualidade de vida.


Do ponto de vista da Medicina Chinesa, as substâncias fundamentais começam a diminuir a partir dos 35 anos, principalmente a essência e o Rim. A idade exata depende de cada um e do seu estilo de vida:

Vive rapidamente, morre jovem e deixa um cadáver bonito” ou “sexo, drogas e rock & roll” são máximas de vida, onde é possível “gastar” a essência logo aos vinte anos. Nas mulheres, os primeiros sinais de envelhecimento são sentidos a partir da menopausa, especialmente nos casos de menopausa precoce, que estão a aumentar e que de alguma forma poderíamos identificar como “envelhecimento precoce”. Se queremos rejuvenescer, devemos nutrir muito o Rim e por muito tempo.



Exercício físico.

Hipócrates (400 A.C.), disse que o exercício é o melhor remédio para o homem. Desde então, esta mensagem tem-se perdido, basta olhar para o sedentarismo da vida atual.

O exercício físico é benéfico para a saúde sempre e quando não exageramos na quantidade e no objetivo. As exigências e os excessos do desporto desgastam o organismo, os tecidos e geram oxidação celular, sobretudo quando a nutrição e os tempos de descanso e sono não são os corretos. Quem faz exercício terá sempre uma aparência mais jovem que uma pessoa sedentária.

O exercício pode atrasar algumas das mudanças que consideramos inevitáveis com o envelhecimento. Pode também ajudar as pessoas com mais idade a recuperar a força, saúde e vitalidade. A atividade física regular e controlada também demonstrou ser a chave em muitos casos de obesidade, diabetes, colesterol, hipertensão e vários sintomas musculares e/ou ósseos.


Portanto, o exercício físico deveria ser pensado como uma terapia que ajuda a manter a juventude e não como uma obrigação. Faz sentir bem, dá agilidade, energia e nunca é demasiado tarde para começar! Além disso, hoje em dia pode-se praticar desportos diferentes é só escolher de qual gosta mais. Se a palavra desporto soa mal, que tal dançar? vai perceber como tudo muda na sua vida.


A Alimentação e a Nutrição.

Nenhum alimento por si só tira as rugas e traz de volta a juventude. Mas uma dieta nutricionalmente variada, equilibrada e de acordo com o estado energético, melhora a qualidade da pele e do sistema imunitário. Uma alimentação adequada fornece energia desde o interior, ajuda a reparar os danos celulares e protege contra a oxidação celular, um dos responsáveis pelos efeitos negativos do envelhecimento.



Mas o que é uma alimentação correta? É senso comum, ou seja, é comer o mais variado e simples possível, eliminar os alimentos processados, os lacticínios, os açúcares e farinhas refinados, escolher alimentos de época e acima de tudo ouvir e aprender a conhecer o organismo.


Muitos alimentos ou plantas com um valor nutritivo ou densidade de nutrientes muito alta, que já existem há milhares de anos, tornaram-se “superalimentos” e são essenciais para a nossa saúde e a dieta moderna, embora, simplesmente consumir vários “superalimentos” não torna a alimentação saudável, é necessário ter mais em conta.


Top 10 Superalimentos Chineses, (Andrews, 2013)

1. Long Yan Rou 2. Gou Qi Zi, (bagas de Goji) 3. Sang Shen Zi, (amoras) 4. Hei Zhi Ma, (sementes de sésamo negro) 5. Da Zao, (tâmara chinesa) 6. Shan Yao, (inhame chinês) 7. Cogumelos como Ling Zhi (reishi), Hei Mu Er e Bai Mu Er, Dong Chong Xia Cao (cordyceps) 8. Mel, própolis, geleia real 9. Alimentos com colagénio: caldo de ossos, pézinhos de porco e patas de galinha 10. Feijões: azuki, feijão preto e branco


Outras substâncias da fitoterapia chinesa, conhecidas pela sua capacidade de embelezamento são: Ren Shen (ginseng), Wu Wei Zi (fruto de Schisandra), He Shou Wu (polygonum), Tu SI Zi (sementes Dodder), Dang Dui (raiz de Angélica) e Huang Qi (raiz de Astragalus).



Fazer uma pausa.

Respirar é muito mais do que levar oxigénio aos pulmões e eliminar dióxido de carbono. A inspiração serve para oxigenar cada célula do nosso corpo e a expiração, desintoxica o organismo. Quando a respiração é incorreta ou muito superficial, origina que os tecidos não recebam oxigénio suficiente, que juntamente com o stress diário, produz grande desgaste e desequilíbrios no organismo, bem como nas emoções.

O Qi circula no nosso organismo e nos meridianos graças ao coração que continua a bater e os tecidos e órgãos permanecem nutridos como resultado de:

  • o que comemos e como comemos = nutrição correta

  • o que respiramos e como respiramos = sistema respiratório

  • a energia nos rins = genética e modo de vida

Atualmente podemos encontrar diversas técnicas diferentes, onde respirar pode ser praticado e melhorado. A medicina chinesa recomenda principalmente a prática de Qi gong ou Tai chi, Gyrokinesis, Gyrotonic onde os princípios do tai chi, yoga, kundalini e natação estão presentes e trabalha-se a respiração, a flexibilidade e a mobilidade.

A respiração correta deve ser lenta, regular, profunda para além de mais consciente. Respirar profundo e consciente permite-nos estar e viver o presente, não o “antes” ou tampouco o “depois”, mas sim, o “agora”.

É possível praticar a respiração com uns simples exercícios em casa. Basta um momento tranquilo, fazer respirações profundas, inalar e expirar ciclicamente e em apenas alguns minutos sente-se um efeito relaxante. Ao praticar todos os dias, é possível perceber como a respiração, em geral, muda e acalma o estado mental.


Sonhos Felizes

Dormir bem é tão importante como uma boa nutrição, quer a nível físico quer psicológico. Com o avançar da idade, qualquer pessoa começa a perceber que é difícil recuperar dos sobre-esforços: viagens longas, tempos de estudo ou muito trabalho, competições desportivas etc. e que é necessário dormir mais horas para se sentir melhor. Dormir mal ou dormir poucas horas tem consequências negativas sobre o corpo e o cérebro: afeta o estado de espírito, a energia e a eficiência, provoca cansaço, diminuição da concentração, irritabilidade, menos resistência ao stress e pode contribuir para a depressão e ansiedade. Com o tempo, além de favorecer o desenvolvimento de doenças, principalmente as crónicas, causa o aumento de peso e o envelhecimento precoce.


Assim se quer manter um aspeto jovem, nada mais fácil do que dormir bem e na hora certa.


O que a Fitoki pode oferecer?


Se assumirmos que o envelhecimento é um processo natural onde o corpo começa a perder algumas capacidades e substâncias fundamentais, com a Fitoki, podemos complementar.


As síndromes mais comuns no envelhecimento e a sua referência na fórmula de Fitoki. Saiba mais aqui.

Tabela_Antiaging
.pdf
Download PDF • 98KB

 

Devemos aceitar que o processo de envelhecimento é inevitável. Talvez não seja possível evitar ter rugas no rosto e cabelo branco, mas manter um espírito jovem e um corpo flexível, sim, está nas nossas mãos.



Avaliação da Pele e do seu Síndroma correspondente. (Andrews 2013)

Em vez de utilizar apenas cremes antienvelhecimento, comece a nutrir o corpo, a respirar melhor, a fazer exercício físico e a meditar para acalmar a mente. Está nas nossas mãos como vivemos e como envelhecemos.


Bibliografia:

  • Andrews, L., 7 Times a Woman – Ancient Wisdom on Health & Beauty for Every Stage of Your Life, Alcyone Press, San Diego, 2103

  • Charrette, Mark, It´s the Fountain (Foundation) of the Youth – Helping patients to Overcome Objections to Exercise, (Internet), Acceso 04/09/2018. Disponible en https://www.acupuncturetoday.com/digital/index.php?i=727&a_id=33539&pn=12&r=t&Page=12

  • Garay, C., Méndez, C., Richard, T., Sales, J., Compendio de Fitoterapia china, Fitoki, Cevagraf, 2010.

  • Pozo-Cruz,J. et al.: “Physical activity affects plasma coenzyme Q10 levels differently in young and old humans”. Biogerontology, 2014.

  • Sarmiento Ramos, L., Envejecimiento y actividad físico-deportiva (AFD), International Journal of Developmental and Educational Psychology, vol. 1, núm. 2, 2016, pp. 135-142.

  • Singleton, T., Eating for a Restful Sleep- Regulating the Sleep/Wake Cycle With Nutrition, (Internet), Acceso 04/09/2018. Disponible en https://www.acupuncturetoday.com/digital/index.php?i=723&a_id=33483&pn=64&r=t&Page=64

  • Velásquez, M., Prieto, B., & Contreras, R. E. (2004). El envejecimiento y los radicales libres. Ciencias, 75, 36-43.

102 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo