Webinar - Ciclos com Dr. Roni-BannerSite.jpg

PROGRAMA

 

As altas taxas de sintomas psicológicos, nomeadamente ansiedade, depressão, comportamento suicida e síndrome de stress pós-traumático foram relatadas na população em geral durante a epidemia de COVID-19, independentemente do estado infecioso. Facto é que a maioria das pessoas que sofrem de COVID-19 irá recuperar; sendo a recuperação definida principalmente em termos de remissão dos sintomas das vias respiratórias. Mas será este o fim da história para estes pacientes? Há cada vez mais provas de que os coronavírus propagam-se aos órgãos extra-respiratórios, nomeadamente ao sistema nervoso central (SNC). Os sintomas neurológicos e a disfunção cognitiva subclínica no rescaldo da infeção por SARS-CoV-2 são resultantes de causas múltiplas e interativas, nomeadamente danos diretos pelo vírus no córtex e estruturas subcorticais adjacentes, efeitos indiretos devido a deficiências sistémicas não-SNC e traumas psicológicos. O hipocampo parece ser particularmente vulnerável a infeções por coronavírus, aumentando assim a probabilidade de perturbações da memória pós-infeção, e aceleração de doenças neurodegenerativas como a doença de Alzheimer. Embora a ansiedade, depressão e síndrome de stress pós-traumático sejam também comuns em doentes com síndrome do desconforto respiratório agudo, e possam contribuir para o défice cognitivo, há algumas evidências que sugerem que tais complicações ocorrem independentemente de problemas psicológicos, e estão associados à gravidade da infeção. As dificuldades cognitivas são características sintomáticas de todas as perturbações mentais. 

 

Assim sendo, este microciclo está dividido em 2 webinars e tem como objetivo principal esclarecer as associações científicas com os distúrbios psicológicos, cognitivos e neurológicos decorrentes da epidemia do COVID-19 e apoiar a recuperação mental e cerebral com protocolos naturais da linha de produtos integrados 2M Pharma sob a perspetiva biomédica.

1º Ciclo - 14 de Outubro

OTIMIZAÇÃO DA MEMÓRIA E PREVENÇÃO

DOS DANOS DO SNC INDUZIDOS POR VÍRUS

 

OBJETIVO:

Este webinar tem como objetivo discutir a influência do coronavírus na função cerebral, principalmente na memória e estabelecer protocolos práticos em suplementação biomédica. 

 

Foi observado em epidemias anteriores que os coronavírus respiratórios podem penetrar no cérebro e no líquido cefalorraquidiano, permeando o SNC em menos de uma semana. As lesões difusas foram identificadas em várias regiões do cérebro, incluindo a matéria branca e as áreas subcorticais dos lobos frontal, temporal e parietal. Os coronavírus produzem uma grande variedade de sintomas agudos do SNC, incluindo dores de cabeça, convulsões epiléticas, disfunção cognitiva, dificuldades motoras e perda de consciência e podem também contribuir para dificuldades respiratórias através da invasão do tronco cerebral e através de uma via sinapse - ligada ao centro cardiorrespiratório medular. Os danos hipocampais são de facto uma consequência da infeção dos coronavírus humanos (HcoV). Estudos indicaram que a inflamação relacionada com a infeção viral agrava significativamente a doença de Alzheimer e resulta na deterioração da memória espacial.