Buscar
  • Bruno Figueiredo

Estudo epidemiológico SARS-CoV-2


Os testes serológicos determinam se uma pessoa tem anticorpos específicos para o coronavírus (SARS-CoV-2) no sangue, ou seja, se já contactou com o vírus e foi infetado.


A relevância dos testes serológicos não é propriamente clínica, mas epidemiológica. Servem para saber qual a prevalência de pessoas com imunidade numa população sendo fundamentais para se perceber como está a evoluir a pandemia. Ao conhecer a percentagem de imunidade populacional poder-se-á prever a evolução do contágio e preparar as estratégias de mitigação. Adicionalmente, pode-se definir a duração da imunidade adquirida, que pode variar entre agentes infeciosos, e prever o efeito de uma potencial vacina.


Adicionalmente, em conjunto com a análise da presença do vírus por teste molecular (zaragatoa e técnica de PCR), o teste serológico ajuda a determinar a fase da infeção: inicial (sem anticorpos), aguda (IgM), de recuperação ou seroconversão (IgM e IgG) ou de imunidade (IgG). Sendo ambos os testes (serológico e molecular) positivos, a pessoa deve permanecer isolada. Sendo negativo o molecular e positivo o serológico, a pessoa já estará imune, podendo regressar à vida ativa sem representar uma fonte de contágio.


Da análise aos testes Prima Lab realizados até ao momento, em média, cerca de 2,6% da população portuguesa revela ter estado em contacto e sofrido infeção por SARS-CoV-2. Esta percentagem varia ao longo das várias regiões do país, sendo a região Norte a de maior prevalência com 8,3% de positivos para anticorpos anti-SARS-CoV-2 no sangue. A Área Metropolitana de Lisboa atinge os 2,9% e a região do Algarve fica-se pelos 0,7%.

Teste Serológico Covid-19 (IgG/IgM)

A distribuição de positivos por género, revela que 64% dos infetados são do sexo feminino contra 36% do sexo masculino. Quanto à faixa etária dos casos positivos varia entre os 15 e os 88 anos de idade, sendo a média de idades de 42 anos. A maioria são pessoas com estilo de vida ativo e sem complicações de saúde, sendo que apenas 14% registam algum tipo de comorbidade, como doenças cardiovasculares.


Distribuição de casos positivos por género e idade

Entre os testes positivos, a maioria (83%) apresenta-se já na fase de imunidade, apenas com presença de anticorpos IgG no sangue. As pessoas em fase aguda ou de recuperação da doença, com teste positivo para IgM ou IgM e IgG, representam apenas 17% da população testada positiva. O que se justifica também pela curta janela temporal destas fases (até 1 mês no total).


Do total de pessoas positivas, 27% afirmam ter tido sintomas relacionados com a doença em período anterior à realização do teste (entre 3 a 97 dias), sendo os restantes 73% considerados assintomáticos.

Fases da Infeção

O IgM é o primeiro anticorpo a ser produzido quando há uma infeção, sendo considerado um marcador de fase aguda da infeção. O IgG é produzido um pouco mais tardiamente, permanecendo em circulação no sangue por forma a proteger a pessoa contra possíveis infeções futuras pelo mesmo agente infecioso. Assim, os IgG são uma espécie de memória que o organismo mantém por um período mais alargado. No entanto não estando ainda completamente definida a duração da imunidade ao SARS-CoV-2, um estudo recente realizado por investigadores do King’s College, em Londres, adianta que a imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer ao fim de alguns meses.(1)

Os testes serológicos Prima Lab, representados pela 2M Pharma, estão a ser comercializados em Portugal há já 3 meses, de Norte a Sul do país. Com várias centenas de testes realizados à população portuguesa, é possível começar a esboçar um estudo epidemiológico e apresentar alguns valores iniciais de imunidade. Clínicas e farmácia que participam no estudo:


Porto

Clínica de Medicina Integrativa, Dra. Ana Moreira

Clínica Médica Dentária, Dra. Marta Novais

Ludi, Serviços Médicos


Lisboa / Almada

Clínica Cemint, Dra. Ana Paula Marum

Farmácia Pepo, Dra. Joana Landeiro

Clínica O3 Med, Dr. João Gonçalves


Setúbal

IClinics, Clinica Médica, Dr. David Morais, Dr. Eurico Gonçalves


Algarve

Clínica Euro-Saúde, Dr Thierry Kairis



*Dados do estudo em atualização, tendo como base os resultados dos testes serológicos Prima Lab - 2M Pharma, realizados após publicação.

Um procedimento que tem como objetivo o máximo rigor

na apresentação dos resultados.

Referências Científicas


1. https://doi.org/10.1101/2020.07.09.20148429


0 visualização